Menu

Como cuidar bem do seu pet?

Confira algumas dicas de como cuidar bem do seu pet, evitando plantas e alimentos que podem ser tóxicos!

 

Antes de saber como cuidar bem do seu pet em casa é importante que você saiba que animal de estimação requer responsabilidade, tempo e cuidados específicos, ou seja, se ainda não tem um, repense isso primeiro.

Aliás, com a aprovação da Lei nº 1.095/2019 que se transformou na Lei Federal nº 14.064/2020 (Lei Sansão), no ano passado houve uma alteração da Lei de crimes ambientais, que agora inclui um capítulo sobre cães e gatos. Desde que foi aprovada aumentou a pena para maus tratos, que passa a ser de 2 a 5 anos de reclusão, multa e perda da guarda do animal.

Porém, se você é só amor para com seu bichinho, seja ele qual for, nesse post vamos falar mais sobre alguns cuidados específicos que alguns animais necessitam, principalmente com relação a plantas e alimentos.

Já falamos aqui sobre plantas que você pode ter em casa, ou apartamento, mas você sabia que algumas fazem mal para cães e gatos?

É sabido que alguns alimentos também são tóxicos para os pets, por isso hoje vamos falar mais sobre este assunto, assim você evita problemas que podem ser inclusive fatais para seu animalzinho.


Plantas perigosas para pets


 Talvez, você já tenha ouvido falar sobre algumas espécies de plantas que podem fazer mal aos animais de estimação. Embora pareçam inofensivas, existem variedade que mesmo bonitas, ou perfumadas podem trazer sérios problemas se seu pet ingerir, portanto, fique atento a estas dicas e evite acidentes!

A seguir vamos falar de 25 tipos de plantas que você deve evitar ter em casa, e assim cuidar bem do seu pet! Lembrando que não são todos os animais que se interessam em mexer em vasos e jardins, mas, se o seu pet é do tipo “explorador” é melhor prevenir do que remediar!

 

Dama-da-noite


Considerada uma planta invasiva, a dama-da-noite chama atenção pelo aroma de suas flores, que atraem abelhas, beija-flores e borboletas. Suas partes tóxicas são os frutos imaturos e suas folhas, que se ingeridos podem causar náuseas, vômito, agitação psicomotora, distúrbios comportamentais e alucinações.

 

Azaleia


A azaleia é uma planta que fascina pela beleza de suas flores e que, por causa disso, pode ser facilmente encontrada dentro de casas e em jardins. No entanto, o seu nível de toxidade varia de moderado a grave, desencadeando os seguintes sintomas em quem a consome: vômitos, salivação intensa, perda de apetite, diarreia, arritmia cardíaca, queda de pressão, convulsões, cegueira, fraqueza, tremores e até mesmo coma.

 

Mamona


Os sintomas da ingestão dessa planta começam a aparecer no sistema nervoso do animal depois de cerca de 24 horas e todas as suas sementes são tóxicas. Os sintomas desencadeados são: náuseas, vômitos, cólicas abdominais, secura de mucosas, hipotermia, taquicardia, vertigens, sonolência, torpor e em casos mais graves, coma e óbito.

 

Espirradeira


A espirradeira possui folhas rústicas e flores variadas encontradas em diversas cores, como rosa, amarelo, branco e vermelho. Também muito usada para ornamentar jardins, possui todas as suas partes tóxicas. Com sintomas que variam desde vômitos, diarreia, arritmias, dispneia até paralisia, coma e consequentemente a morte do animalzinho. Tais sintomas podem ser observados dentro de um período de 24 horas.

 

Coroa-de-cristo


Comumente encontrada como proteção em cercas viva, sua toxina está presente no látex irritante que exala da planta. Ao entrar em contato com seu animal de estimação, a seiva leitosa poderá provocar reações inflamatórias (dor, vermelhidão e inchaço). Caso em contato com os olhos, poderá provocar até mesmo cegueira.

 

Lírio


Planta frequentemente usada como ornamento, principalmente por suas flores aromáticas. Todas as suas espécies são consideradas tóxicas, e a sua ingestão pode ocasionar irritação nos olhos, oral e de mucosas, pele seca e avermelhada, agitação psicomotora, dificuldade de engolir, alucinações e delírios e problemas respiratórios.

 

Hera


Tóxica por inteira, o seu óleo “urushiol” irrita principalmente mucosas, causando coceira excessiva, irritação nos olhos, irritação oral, dificuldade de deglutinação e até mesmo de respiração. Por ser uma planta trepadeira, pode ser encontrada no formato de arbustos, misturada a outras vegetações.


Bico-de-papagaio


O bico-de-papagaio também possui uma seiva que provoca muitos danos, como lesão na pele e mucosas, queimação e coceira, náuseas, vômitos e gastroenterite. É comum usarmos na época de Natal, para combinar com a decoração de fim de ano. Mas poucas pessoas sabem do potencial venenoso da planta, fazendo com que casos de envenenamento se tornem comuns nessa época.

 

Glicínia


Apesar de ser deslumbrante, com flores que caem como cascata nas cores branco, rosa ou azul, essa planta é completamente tóxica. O consumo de suas sementes e vagens pode provocar diarreia, cólicas, náusea e vômito. Por isso, é importante que ela fique fora do alcance de animais de estimação e crianças, que acabam sendo atraídas pela beleza da planta.

 

Espada-de-são-jorge


Muitas pessoas acreditam que essa planta trás prosperidade a casa e, por isso, ela é facilmente encontrada como ornamento. É considerada uma das plantas com menor grau de toxidade, pois a consequência de sua ingestão se resume a salivação intensa, dificuldade de movimentação e respiração.

 

Comigo-ninguém-pode


O nome já diz tudo, não é! Além de possuir folhas de beleza incomparável, acredita-se que essa planta traga proteção a casa, o que contribui para um maior número de incidentes por intoxicação. Aqui também todas as partes da planta são consideradas tóxicas. A seiva provoca irritação das mucosas, edema de lábios, língua e palato; o consumo de outras partes da planta pode causar cólicas abdominais, náuseas e vômitos; o contato com os olhos gera edema, fotofobia e lacrimejamento.

 

Costela-de-adão


A costela-de-adão possui folhas grandes e flores aromáticas, além de ser facilmente confundida com outra planta chamada banana-de-macaco, no entanto, pode ser reconhecida por seus furos maiores e regulares. Apesar do seu fruto ser comestível, suas folhas quando ingeridas podem causar irritação e edema nas mucosas, asfixia, vômito, náuseas, queimação e, se em contato com os olhos, pode levar a lesão na córnea.

 

Copo-de-leite


Considerada uma das plantas mais populares, e também tóxica, possui o mesmo princípio ativo da comigo-ninguém-pode. Os sintomas mais comuns são: a seiva provoca inflamações na garganta e boca; a planta causa irritação das mucosas, edema de lábio, língua e palato, náuseas e vômitos; já o contato com os olhos, gera edema, fotofobia e lacrimejamento.

 

Mandioca brava ou castelinha


Quando ingerida crua, a castelinha se torna extremamente tóxica, pois suas raízes e folhas possuem uma substância chamada linamarina, que pode até mesmo matar. Os efeitos provocados são asfixia e convulsões. Em seu tratamento, é necessário mais que depressa a hospitalização, lavagem gástrica e por fim um tipo de antídoto específico.

 

Samambaia


As samambaias são encontradas principalmente nas regiões sul e sudeste do Brasil e costumam manter seus princípios tóxicos mesmo secas. Vale lembrar que todas as suas folhas são tóxicas, e os sintomas podem se limitar a febre, hemorragia na pele (suor com sangue), diarreia com sangue, diminuição do número de plaquetas. Devido a todos esses efeitos, o animal perde sangue rapidamente, podendo provocar a morte.

 

Antúrio


Todas as partes do antúrio são tóxicas e geralmente nos enganamos quanto a suas flores, que na verdade são os minúsculos pontinhos amarelos, protegidos pela folha modificada avermelhada. Os principais sintomas da ingestão são inchaço na garganta, lábios e boca, salivação, edema de glote, paralisia da língua, asfixia, diarreia e vômito.

 

Violeta


A violeta se caracteriza por seu cheiro suave e suas folhas levemente em formato de coração. Seu caule e sementes possuem princípios ativos extremamente tóxicos. Seu consumo pode causar nervosismo, gastrite severa, queda na circulação e respiração, vômitos e diarreias.

 

Tomate verde


O tomate é uma fruta altamente consumida quando madura. Mas, os que possuem animais de estimação, devem tomar cuidado, pois quando verdes os frutos e suas folhas, possuem alta quantidade de uma substância tóxica chamada tomatina. A tomatina causa salivação, diarreia, vômitos, arritmia cardíaca e dificuldade na respiração.

 

Dedaleira


Também conhecidas como “campainhas”, são tóxicas por inteiro, com ênfase nas flores e frutos, que se ingeridas afetam diretamente o coração. Há quem a cultive para fins medicinais, ou ornamentais, pois seu componente considerado tóxico em alguns casos, também pode ajudar os que sofrem de insuficiência cardíaca. Após seu consumo podem surgir vômitos e diarreia.

 

Cannabis


O elemento tóxico presente na cannabis pode agir por dias no sistema nervoso central do animal e, por isso, ela é considerada uma planta extremamente nociva. A própria fumaça exalada da queima da planta pode causar malefícios como a fotofobia. Os sintomas podem ser notados nas primeiras horas após seu consumo, caracterizados por desorientação, ritmo cardíaco lento e tremores, salivação excessiva, depressão e até mesmo coma.

 

Beladona


A Beladona é uma planta de jardim, que possui componentes tóxicos principalmente nas raízes e sementes. Ela não ocorre naturalmente no Brasil, mas é encontrada como semente e estaca. O seu consumo pode gerar rubor na pele, principalmente da face, vermelha, quente e avermelhada, boca seca, aumento da frequência cardíaca, pupilas dilatadas, confusão mental e febre.

 

Hibisco


O hibisco é muito procurado, pois se acredita que suas propriedades ajudam no emagrecimento e, por isso, são frequentemente utilizados para fazer chás. Mas, suas flores e folhas têm efeito tóxico aos animais e podem ser fatais. As características dos sintomas são, primeiramente, gastrointestinais, incluindo diarreia, vômito, perda de apetite e náusea.

 

Avenca


Apesar de não ser nativa do Brasil, essa planta é geralmente cultivada com base na crença de que ela é capaz de ajudar a espantar o mau-olhado. Mas, consumir essa planta pode ocasionar futuramente em câncer.

 

Fumo-bravo


O componente tóxico do fumo-bravo está em toda a planta, com concentrações maiores em seus frutos. Esta é uma espécie muito adaptável e rústica, facilmente disseminada por pássaros. A ingestão da planta ocasiona em inflamação do intestino delgado (duodeno), gastrite, náuseas, diarreia, vômitos e aumento das enzimas hepáticas.

 

Tulipa


Belas e muito populares, as tulipas também são tóxicas e seu bulbo é prejudicial principalmente para gatos. Alguns dos sintomas comuns, após sua ingestão são vômitos, irritação gástrica e diarreia.

Então, como cuidar bem do seu pet com relação às plantas?


Por último, se você percebeu que seu pet foi exposto a alguma planta tóxica, a dica é levá-lo imediatamente a uma clínica veterinária mais próxima e informar o nome da planta tóxica ingerida, para que seja feito o tratamento correto de primeiros socorros. Os sintomas iniciais geralmente variam entre prostração (abatimento / moleza), vômito e irritação de pele. Contudo, a evolução pode ser rápida devido à toxina, levando à morte em pouco tempo

Em momentos como esse, não se deve tentar nenhuma “receita caseira” como dar leite ao animal, ou induzir o vômito, pois além de não funcionar, podem prejudicar a situação. Por isso, leve seu amiguinho ao veterinário mais que depressa para que o profissional tome as medidas cabíveis.


E quanto aos alimentos!


Como dissemos anteriormente, não são apenas algumas plantas que fazem mal os bichos. Muita gente sabe que certos alimentos, com o chocolate, também são prejudiciais, por isso, vale conferir as informações a seguir. Embora os vegetais pareçam saudáveis é bom saber que a regra não vale para todos.

 

Cebola


A cebola possui elementos que não fazem mal ao ser humano, mas que podem ser extremamente tóxicos para os pets. Uma dessas substâncias é o N-Propil, um dissulfato capaz de inibir algumas enzimas essenciais para o funcionamento do organismo e atacar os glóbulos vermelhos. O N-Propil transforma a hemoglobina em metaglobina. Em alta concentração, significa que pode levar à destruição dos glóbulos vermelhos, resultando em um caso grave de anemia hemolítica nos cães. Vale lembrar que a hemoglobina é a proteína responsável por transportar nutrientes e oxigênio pelo organismo. Por isso, sua perda impacta o funcionamento do corpo inteiro. Os sintomas mais comuns da intoxicação por cebola são vômito, urina avermelhada, diarreia, aumento do ritmo cardíaco e apatia.

 

Alho


O alho é outro alimento que deve ser evitado. Em pequenas quantidades e com pouca frequência pode até trazer alguns benefícios, como redução do colesterol e desintoxicar o fígado, mas em grandes quantidades pode causar o mesmo problema da cebola. Os dois alimentos fazem parte da família Allium, assim como o alho poró e a cebolinha, e possuem alicina, uma outra substância que também causa a destruição da hemoglobina e facilita o desenvolvimento da anemia hemolítica. Os sintomas da intoxicação por alho são semelhantes aos causados pela cebola.

 

Batata crua


A batata crua para cachorro é proibida da dieta. O legume possui uma substância chamada solanina, que é eficaz principalmente para afastar insetos e parasitas. Para o cachorro, pode ser tóxica. Presente principalmente na batata-inglesa, afeta o sistema nervoso central e pode causar problemas gastrointestinais. Alguns sintomas são diarreia, náusea, vômito e até mesmo dificuldade para respirar. Porém, a batata é um dos legumes que pode dar para cachorro se for cozida ou assada! A batata doce cozida, por exemplo, pode ser um ótimo petisco para o seu pet.

 

Feijão


O feijão é uma das leguminosas que os cachorros podem comer quando bem preparado, mas é preciso ter bastante cuidado. O alimento tem uma substância chamada lectina que, se ingerida em grandes quantidades, causa náusea, vômito e dores de estômago. Além disso, o preparo do feijão não leve levar nenhum tipo de tempero. Portanto, se quiser dar feijão ao seu cachorro, prepare especialmente para ele, bem cozido, sem temperos e em quantidades pequenas.

 

Mandioca


A mandioca em excesso leva a uma alta ingestão de carboidratos. Para seu cãozinho, isso pode resultar em problemas intestinais, como gases, diarreia e vômito. Além disso, contribui para a obesidade canina. Se cozida e em poucas quantidades, está permitido, mas jamais dê o alimento cru, pois é extremamente tóxico (a mandioca possui Ácido Cianídrico, que só perde seu efeito após o cozimento).

 

Milho


O milho é um dos legumes que cachorro pode comer se for bem preparado - cozido apenas em água, - mas jamais o dê na espiga. Os grãos podem fazer o cachorro engasgar, além de causar uma obstrução no intestino. Também não ofereça milho enlatado, pois possui muitos conservantes que fazem mal ao bichinho.

 

Folhas e caules de vegetais


Ao oferecer legumes e verduras para cachorro, sempre tire as folhas e os caules. É o caso das folhas de cenoura ou brócolis, por exemplo. A ingestão dessas partes dos vegetais pode ser bastante prejudicial ao cachorro e causar danos no organismo.

 

Tomate


É melhor evitar dar tomate para cachorro. O alimento possui solanina - que é mais presente em tomates verdes -, por isso está totalmente proibido na dieta dos cães. O tomate também tem uma acidez que pode afetar o estômago do bichinho. A intoxicação por tomate pode levar o cachorro a ter problemas gastrointestinais, fraqueza e tremores. Além disso, as sementes podem fazer o cão engasgar e também causar dores intestinais.

Fique por dentro das melhores oportunidades

Cadastrando-se na nossa newsletter, você receberá em seu email novidades e
informações essenciais sobre o mercado imobiliário

Fique tranquilo, nós também detestamos spam :)